quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Melhor Ator Oscar 2013


Muitos são os atores consagrados por seus trabalhos que foram indicados ao Oscar esse ano, por isso falarei um pouco de cada um deles em particular.

Daniel Day-Lewis
Daniel Day-Lewis é um dos mais respeitados atores, apesar do estrelato, o britânico de 55 anos não chama a atenção da mídia em seu cotidiano, é reservado e discreto.
Daniel começou sua carreira no teatro e conseguiu seu primeiro papel de destaque no cinema em 1984 no filme "The Bounty". No ano seguinte, atuou em "Minha Adorável Lavanderia" e "Uma Janela para o Amor", onde foi premiado pelos dois filmes pelo New York Film Critics. O estrelato e o primeiro Oscar vieram em 1989, com "Meu Pé Esquerdo", de Jim Sheridan. Day-Lewis conquistou público e crítica interpretando Christy Brown, um irlandês de família humilde com paralisia cerebral que usa o pé esquedo, único membro dotado de movimento, para escrever e pintar.
Um traço marcante de Lewis é a sua seletividade na hora de decidir pelos papéis. Em toda a década de 1990, fez apenas cinco filmes, entre eles “O Último dos Moicanos”, “A Época da Inocência” e “Em Nome do Pai”, por sinal fabulosos filmes. De novo de 2002 a 2012 foram apenas outros cinco, com destaque para "Gangues de Nova York" e "Sangue Negro", o qual lhe rendeu o segundo Oscar.
Admirado por outros artistas ("ele é tão bom que nos irrita", disse George Clooney) e celebrado por diretores como Martin Scorsese, Steven Spielberg e Paul Thomas Anderson.
Daniel já concorreu em 5 oportunidades, saindo vencedor por 2 delas. Se as previsões se confirmarem e Daniel ganhar o Oscar o recorde será quebrado e ele será o único homem a vencer por três vezes na categoria melhor ator e, como Meryl Streep, Jack Nicholson, Walter Brennan e Ingrid Bergman, ficará apenas uma estatueta atrás da campeã de todos os tempos, Katharine Hepburn que foi quatro vezes premiada quatro vezes pela Academia.
Por Lincoln, o ator já tem as premiações do Globo de Ouro, Bafta e SGA Awards, colocando-o como o grande favorito na disputa da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.
A nova produção de Steven Spielberg, Lincoln, acompanha os bastidores do então presidente norte-americano na Casa Branca durante a guerra civil norte-americana, saindo vitorioso o norte. Ao mesmo tempo em que se preocupava com o conflito, o presidente norte-americano, Abraham Lincoln travava uma batalha ainda mais difícil em Washington. Ao lado de seus colegas de partido, ele tentava passar uma emenda à Constituição dos Estados Unidos que acabava com a escravidão.
A obsessão do político pela abolição dos escravos sempre foi uma de suas características mais marcantes.
O mais interessante é que apesar da 13° Emenda constitucional ter sido aprovada em 1864, quase 150 anos depois, o estado do Mississippi ainda não havia ratificado a emenda, mas com o filme Lincoln, o secretário de estado Delbert Hosemann mandou finalmente oficializar a liberdade dos negros na região, em 7 de fevereiro deste ano, incrivel, não?

Daniel Day-Lewis e Abrahan Lincoln


Denzel Washington
Denzel Washington teve a sua primeira grande oportunidade cinematográfica em 1987 desempenhou o papel do activista sul-africano Steve Biko em “Um Grito de Liberdade”, dois anos depois conquistou o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante pelo seu desempenho de soldado num batalhão inteiramente negro durante a guerra civil americana em “Tempo de Glória” de 1989. Voltou a repetir a nomeação desta vez para Melhor Ator pelo seu retrato de líder revolucionário em “Malcolm X” de 1992. A sua carreira solidificou-se em êxitos de bilheteira como “O Dossiê Pelicano”, onde contracenou com a atriz Júlia Roberts, Filadélfia que estrelou com Tom Hanks, em “Maré Vermelha” de 1995 ao lado de Gene Hackman e no filme de guerra ”Coragem sob Fogo de 1996. Logo após protagonizar mais um thriller, “O Colecionador de Ossos de 1999, Denzel teve mais uma nomeação para Melhor Ator pelo filme “Hurricane – O Furacão”, baseado na história verídica do pugilista Rubin Hurricane Carter. Em 2001 voltou à Academia vencedor pelo seu magnífico desempenho no policial “Dia de Treinamento”, como um agente corrupto do departamento de narcóticos. Ao aceitar o prémio, Denzel o dedicou ao ator Sidney Poitier, homenageado pelo conjunto de sua carreira nessa mesma noite única, que entrou para a história do cinema e da Academia como a noite em que dois atores negros, Denzel Washington e Halle Berry, venceram as categorias de Melhor Ator e Melhor Atriz.
Em “O Vôo” Denzel Washington retorna à trilha de interpretações de qualidade ao retratar entre verdades e mentiras as investigações de um acidente aéreo onde o piloto viciado em drogas e bebidas evita uma catástrofe maior.

Denzel Washington


Hugh Jackman 


“As revoluções nascem, não de um acidente, mas da necessidade. Uma revolução é um retorno do fictício ao real. Ela existe porque é preciso que ela exista.”
— Os Miseráveis

Adaptação do musical da Broadway, “Os Miseráveis” conta uma história que se passa em plena Revolução Francesa do século XIX.
O ator australiano Hugh Jackman diz que sua experiência em musicais e filmes de ação o fez sentir-se como se "todas as estrelas estivessem se alinhando" quando ele assumiu o papel do protagonista Jean Valjean na versão cinematográfica de “Os Miseráveis”.
Hugh Jackman revelou que não se sentiu confortável com o fato de ter que dublar músicas durante a interpretação do herói do filme, Valjean e que tinha um piano ao vivo tocando ao seu lado.
Como cantor, Hugh estrelou no papel de Gaston na produção australiana “A Bela e a Fera” e também apareceu como Joe Gillis na produção australiana Sunset Boulevard.
Jackman ganhou um Tony (Prêmio para melhor Ator de Musical) em 2004, quando interpretou Peter Allen em “The Boy from Oz”.
Hugh é mais conhecido por seu papel de Wolverine na série de filmes "X-Men", pelo qual foi indicado ao MTV Awards de Melhor Revelação Masculina e de Melhor Equipe.
Mas foi com o filme “Kate & Leopold” que Jackman ganhou o Globo de Ouro de Melhor Ator Comédia/Musical. Fez também muitos filmes de peso como “Van Helsing: O Caçador de Monstros” e “Austrália” onde contracenou com a atriz Nicole Kidman e “Gigantes de Aço” de 2011.
O escritor francês Victor Hugo em 1862 escreveu o livro “Les Miserables”, o qual se tornou um clássico na literatura francesa e é um livro obrigatório nas escolas francesas, onde os personagens encarnavam o bem, o mal, a redenção e a luta pela liberdade, em um momento convulso e em transformação da história da França. Após 150 anos, a história é uma das mais populares e conhecidas do mundo.

Em 8 de outubro de 1985, em Londres, no teatro Barbican estreou o musical de “Os Miseráveis” a qual é representada de forma ininterrupta durante todos esses anos.

Hugh Jackman

Pessoal amanhã vou postar mais sobre os atores que concorrem ao Oscar 2013... Esses atores maravilhosos me fizeram viajar por toda a pesquisa que envolve a criação de cada um de seus personagens, estou emocionada de ver a complexidade na realização de cada um.
Até amanhã
Flavia




2 comentários:

  1. Adorei o blog mamãe,otimos posts e o fundo ficou irado,correspondente ao tema.
    Bjs Filhao!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc é q é show!!! Te amo filho e obrigada pelas dicas!!!

      Excluir